Sobrecarga!

Sobre ser mãe de uma menina aos 24 anos, trabalhar na área comercial, ser dona de casa, companheira, e querer abraçar o mundo. Sempre me culpou muito e me cobro muito para ser boa em tudo, e dar conta de todas as tarefas, mas de um tempo pra cá não  está dando muito certo, e eu comecei a me cobrar de mais, a ficar decepcionada comigo mesmo, sendo que na verdade eu não havia parado pra pensar que realmente é muita coisa pra uma pessoa só. Muitas vezes precisamos de ajuda, e precisamos não ter medo de pedir ajuda, chegamos muitas vezes a um ponto que estamos tão estressadas por não dar conta das coisas, e começamos de uma certa forma a nos julgar de não sermos capaz de fazer tudo, e então tudo começa a estourar, seja em um gesto de Stress com alguém que amamos, ou até mesmo em nossa saúde, e foi exatamente isso que aconteceu comigo, e então em um desses momentos meu médico falou algo que provavelmente já haviam me falado e eu não havia dado atenção necessária, então ele disse “Amanda, você é nova, tem apenas 24 anos, você não pode abraçar o mundo, você é  mãe, e dona de casa, e de uma certa forma esposa, e funcionária (em uma área que sabemos que tem um nível de Stress alto), é filha, e além de tudo isso você que resolver tudo e quer se mostrar forte sempre, mas você deve se lembrar que antes de qualquer coisa lembre-se não temos como abraçar o mundo, é muita responsabilidade para uma pessoa só, peça ajuda quando necessário.” Com O decorrer dos dias comecei a pensar melhor nas palavras dele e realmente, a grande maioria das vezes abraçamos o mundo e queremos ser uma super heroína principalmente quando nos tornamos mãe, queremos manter as coisas em ordem, manter tudo sobre nosso controle, mas as coisas não podem ser assim, pois chega um momento que nos causa um estafamento que acaba atingindo diretamente nossa saúde, e sem ela não poderemos fazer mais nada. Me cobro muito sempre por não ser a mãe  que eu sempre quis, ou quando algo sai errado, quando não consigo manter as coisas em seu devido lugar, e vejo que isso não terá mais lógica se minha saúde piorar, se é tarde ou não, não sei, mas esses dias me fizeram pensar muito mais em mim e na Ágatha que a principal pessoa que depende realmente de mim, e relaxar mais, aproveitar mais a vida, deixar a casa bagunçada e brincar com ela, deixar uma saída com os amigos pra traz ou uma limpeza na casa para passar um momento de tranquilidade com a família, me cobrar menos pelos meus erros, afinal todos nós erramos,além de tirar um tempinho no meio disso tudo só pra mim, para tomar um banho demorado, fazer uma unha, assistir algo que eu goste, ou até mesmo ficar sem fazer nada no sofá da sala.

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *